sexta-feira, 4 de novembro de 2016

[entre parênteses]

estava eu aqui pensar com os meus botões como vai ser o meu fim de dia [que começa a partir das 16h00 quando saio daqui]. e penso que hoje é dia de karaté. e penso que o kimono da Amora ainda está pendurado no estendal e por isso ainda tenho de o passar a ferro. e penso que tenho de a ir buscar ao ATL e ir a casa [passar a ferro o kimono] para que ela se arranje. e penso que pouco tempo depois de entrar em casa vou ter de sair outra vez para o meio do trânsito para a levar ao karaté. e penso que vou ficar mais de 1 hora enfiada no carro à espera que ela termine a aula, porque não vale a pena voltar a ir para casa para voltar a sair para o meio do trânsito. e penso que hoje não tenho jantar feito nem quem mo faça. e penso que já estou cansada e ainda estou a trabalhar. e penso, aleluia que já é sexta feira.
e não quero pensar que amanhã é sábado [e que apesar de poder acordar mais tarde], a Amora tem catequese e no domingo tem karaté e uma festa de anos. e não quero pensar quando vou ter tempo para descansar e fazer outras coisas que devem ser feitas aos fins de semana, porque não vou ter tempo.